domingo, 14 de agosto de 2016

A parábola do joio

24 - Outra parábolas lhes propôs, dizendo: 
O reino dos céus é semelhante a um homem
que semeou boa semente no seu campo;

25 - Mas, enquanto os homens dormiam,
veio o inimigo dele, semeou o joio no meio 
do trigo e retirou-se.

26 - E, quando a erva cresceu e produziu
fruto, apareceu também o joio.

27 - Então, vindo os servos do dono da casa, 
lhes disseram: Senhor, não semeaste boa 
semente no teu campo? Donde vem, pois, o joio? 

28 - Ele, porém, lhes respondeu; Um inimigo
 fez isso. Mas os servos lhe perguntaram: 
Queres que vamos e arranquemos o joio?

29 - Não! Replicou ele, para que, ao separar 
o joio, não arranqueis também com ele o trigo.

30 - Deixai-os crescer juntos até à colheita,
e, no tempo da colheita, direi aos ceifeiros:
ajuntai primeiro o joio, atai-o em feixes para
ser queimado; mas o trigo, recolhei-o no
 meu celeiro.