sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Existem seres humanos que parecem vampiros. O que são eles e por que são assim?

Eles não são humanos; têm apenas uma forma ou aparência humana. São encarnações de seres do mundo que está imediatamente próximo do físico, seres que vivem no plano que chamamos de mundo vital. É um mundo de todos os desejos de violência e ganância e esperteza e toda espécie de ignorância; mas todos os dinamismos estão também lá, todas as energias-forças e todos os poderes. Os seres deste mundo têm, por sua natureza, um estranho domínio sobre o mundo material e podem exercer sobre ele uma influência sinistra. Alguns deles são formados dos restos do ser humano que persistem depois da morte, na atmosfera vital, perto do plano terra. Seus desejos e ânsias ainda flutuam lá e conservam-se em forma mesmo depois da dissolução do corpo; frequentemente são impelidos a continuar manifestando-se e satisfazendo-se, e a consequência é o nascimento destas criatura no mundo vital. Mas estes são seres de menor importância; se podem causar problemas, não é, porém, impossível lidar com eles. Existem outros, muito mais perigosos, que nunca estiveram de forma humana, que nunca nasceram num corpo humano sobre a terra, porque, de modo geral, eles se recusam a aceitar este modo de nascimento, pois é escravidão à matéria e preferem permanecer em seu próprio mundo, poderosos e nocivos, e de lá manter o seu controle sobre os seres da terra. Embora não queiram nascer na terra, eles querem está em contato com a natureza física, mas sem ficar limitados a ela. Seu método é experimentar primeiro lançar sua influência sobre o homem; então entram vagarosamente na sua atmosfera e finalmente podem conseguir total domínio sobre ele, expulsando completamente a verdadeira alma e personalidade humanas. Estas criaturas, quando na posse de um corpo carnal, podem ter uma aparência humana, mas não têm uma natureza humana. Seu costume é valer-se da vida-
força dos seres humanos; atacam e capturam um poder vital sempre que podem, e alimentam-se disto. Se vierem para dentro de sua atmosfera, você se sentirá deprimido e exausto repentinamente; se você ficar perto deles por algum tempo, cairá doente; se você viver com um deles, ele poderá matá-lo.


 Fonte: Conversas com a Mãe
            Sri Aurobindo Ashram.

domingo, 14 de setembro de 2014

"...As religiões adoram um crucifixo
Que exibe o Cristo morto.
Como se  pode matar o imortal,
A força que cria e sustenta toda vida?
Não se pode reduzir Jesus, o Cristo,
A um mero corpo físico.

O Cristo de todos os tempos 
É eternamente vivo e presente
Os animais são o Cristo,
Cada folha, cada flor e cada semente
É o Cristo.
Cada animal é o Cristo,
Cada homem e cada mulher é o Cristo.
Ele se reflete no lado direito
De todos os seres do universo.

Você é o Cristo,
Eu sou o Cristo.
Ele se expressa através de minha língua
Brilha em meus olhos
E pulsa forte em meu coração.

Desomita a verdade,
Descrucifique o Cristo crucificado,
 Sinta sua presença a cada passo,
A cada movimento, a cada respiração.
Compreenda os sagrados ensinamentos
De todos os Cristos de todos os tempos.
Medite, devocione, depois torne-se Um
Com o próprio Cristo.

De que serve as orações,
De que serve as duras penas 
Quando não se conhece 
O caminho direto da autoconscientização?

Um animal selvagem,
Ainda que treinado,
Jamais perderá sua ferocidade latente..

As roupas podem ser brancas e bonitas,
Mas se o coração é negro como a noite,
De que vale a aparente beatitude? 
De que vale o rosário entre os dedos,
Quando não se eliminam os desejos? 

Sem o amor universal
De que valem os donativos?
De que valem os banhos e defumações
Se a mente está coberta
Por camadas e camadas de sujeira?
De que serve os aparatos externos
Quando não se conhece
O verdadeiro ritual?
De que vale buscar os prazeres dos sentidos
Quando não se conhece
O néctar da sublime devoção?..."

Fonte: O círculo de luz
           Sri Maha Krishna Swami