domingo, 29 de dezembro de 2013




"O mundo não é bom nem mau; cada homem constrói seu próprio mundo. Um cego pensa num mundo duro ou macio, frio ou quente. Somos uma mistura de felicidade e sofrimento, como já tivemos ocasião de comprovar centenas de vezes em nossa vida. Em geral os jovens são otimistas e os velhos, pessimistas. Os jovens têm a vida diante de si, os velhos queixam-se de que seu tempo já passou; centenas de desejos insatisfeitos debatem-se em seus corações. Contudo ambos são tolos. A vida é boa ou má de acordo com o estado de espírito com que a contemplamos. Em si mesma, não é nada. O fogo, em si mesmo, não é bom nem mau. Quando somos aquecidos por ele, dizemos: “Como é lindo o fogo!” 
Ao queimar-nos os dedos, nós o condenamos. De acordo com o uso que fazemos dele, ele nos causa uma sensação boa ou má. O mesmo se dá com o mundo. É irrepreensível, no que se refere a estar perfeitamente habilitado para realizar seus desígnios. Podemos estar certos que continuará a existir maravilhosamente bem sem nós, e por isso não precisamos ter a preocupação de querer ajudá-lo
Precisamos fazer o bem. O desejo de fazer o bem é a nossa maior e mais poderosa aspiração, desde que tenhamos plena consciência de que é um privilégio ajudar aos outros. Não suba num pedestal, com cinco centavos na mão, e diga: “Tome, meu pobre coitado.” Seja grato que o mendigo esteja ali, porque ao dar-lhe uma esmola, você está ajudando a si mesmo. Abençoado não é quem recebe, mas sim, quem dá. Dê graças por poder exercitar sua bondade e compaixão nesse mundo, tornando-se, dessa forma, puro e perfeito."

Fonte: O que é religião
                Swami Vivekananda, 

domingo, 15 de dezembro de 2013

POR QUE DEVEMOS PRATICAR MAHA YOGA



Através da prática da Maha Yoga, dos pranayamas, da respiração correta, da meditação iniciática adquiri­mos uma boa circulação sanguínea, oxigenação plena no cérebro, na parte física. E, principalmente, adquirimos um conhecimento de nós mesmos. Quando passamos a nos conhecer, descobrimos onde estão nossos medos, começamos a nos indagar sobre o por quê das coisas, aí vem a busca. Daí nasce a busca de nós mesmos e nós sabemos disso, pois todo mundo tem essa busca e aí vem a solução que está dentro de nós mesmos. Nós só vamos ver o mundo, as coisas de uma maneira melhor quando mudarmos nosso olhar porque cada um vê o mundo de acordo com seus olhos. Se equilibrarmos nosso mundo interno, se nossa mente permanecer tranquila, então começaremos a ver as soluções. Nós emanamos ao nosso redor essa energia e pas­samos a ver tudo como é, pois nem sempre as coisas são como as vemos. O mundo não faz nada, o mundo é o mundo. O que acontece no mundo é o ser humano que faz. O que precisa ser melhorado não é o mundo, mas as pessoas. O mundo não precisa ser melhorado, pois ele não faz nada para ninguém.

Mataji Sutra Maha Devi
Maha Yoga, a Verdade Universal


O CONSOLADOR



        O grande problema desta humanidade é ter esquecido as leis divinas. Tudo é feito visando a interesses particulares, cada um vendo apenas o que é melhor para si mesmo, não se importando se prejudica seus semelhantes. Ao invés de se utilizarem os meios disponíveis para sempre progredir no processo evolutivo, o que se faz é transgredir as leis universais, afastando-se cada vez mais da Verdade Suprema. Isso tudo reflete a inconsciência espiritual que predomina entre os homens da Terra.


            Por estarem sob o domínio da ilusão, grande parte das pessoas são doentes psiquicamente.  Possuem acúmulos psíquicos em todos os aspectos, pois Têm a mente sobrecarregada por suas ações passadas. Autoprogramam-se erroneamente. Foi criado um sistema que obriga a maioria das pessoas a usufruir o máximo possível daquilo que aprendeu, visando só à ganância e aos poderes materiais. Os homens estão de tal forma hipnotizados pela matéria, pelos grandes empreendimentos, pelos estudos das coisas ilusórias, que não lhes sobra tempo para se dedicarem aos sagrados ensinamentos trazidos pelo Consolador Prometido.

Fonte: O Consolador
Sri Maha Krishna Swami
 

sábado, 14 de dezembro de 2013



Retira do sono
As histórias
Das vidas acontecidas.
Deixa o vento
Espalhar a minha paz
Sobre os humanos
Amanhecidos.
 Repousa na própria fadiga
 O torpor dos dias
 Acontecidos
 A paz esmaga a solidão.
 A noite desenha
 Mistérios
 E faz inevitável
 O desejo de libertação.
 Tenho infinidade
 De olhos fixos
 E todos dirigem-se
 À eterna distância.
 Pedaços de água envolvem
 As formas dormidas.
 É o querer
 De toda a
 Essência.

 Fonte: Maha Gita purusham do Bem-aventurado
 Sri Maha Krishna Swami