domingo, 29 de setembro de 2013

Sri Rama


Rama


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Rama (desambiguação).

Rama (no devanágari: राम), na mitologia hindu, é considerado um dos avatares do 

deus Vishnu1 . A ele é dedicado o poema sagrado Ramáiana, que juntamente com o 

Maabárata compôem as mais respeitadas narrativas históricas (Itihasas) da cultura 

védica.
Ramachandra significa a fonte do todo o prazer, que é comparado a Chandra, a lua 

encantadora, ou aquele que brilha na Terra.
A vida e a jornada de Rama são baseadas na aderência perfeita ao dharma. Pela 

honra do seu pai, Rama abandona a sua pretensão ao trono de Kosala para ficar em 

exílio por catorze anos na floresta2 .
É o símbolo do grande homem, o perfeito filho, o perfeito marido, irmão, amigo e 

governante. Sua saga está descrita na epopeia literário-religiosa do Ramáiana, 

onde é relatado com detalhes seu casamento com Sita, e sua luta contra o demônio 

Ravana, o mais terrível demônio do mundo. Recebeu ajuda de Hanuman nesta 

empreitada.
O conceito da conversão não pertence a este sistema religioso.

sábado, 21 de setembro de 2013


Vivamos felizes
Sem odiar os que nos odeia
Habitemos entre os homens cheio de ódio
Sem odiá-los.
Vivamos felizes sem ser enfermos
No meio dos que o são.
Habitemos entre os enfermos
Sem o ser.
Vivamos felizes, sem cansaço,
No meio de homens cansados
Do constante renascer.
Habitemos entre os homens
Ajudando-os, sem sofrer.
Vivamos felizes,
Nós que nada possuímos.
Seja a alegria o nosso alimento,
Como é a luz do Sol
Para o universo inteiro.


Fonte: O Homem de Aquário


             Sri Maha Krishna Swami

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Que são os males físicos? São ataques das forças hostis de fora?

Existem dois fatores a serem considerados no assunto. Há o que vem de fora e há o que vem de sua condição interior. Sua condição interior torna-se uma causa de doença quando existe uma resistência ou revolta nela ou quando alguma parte do ser não responde à proteção; ou mesmo pode haver qualquer coisa lá que, quase de boa vontade ou deliberadamente, chama as forças adversas. Basta haver um ligeiro movimento desta espécia em você, as forças hostis cairão imediatamente sobre você e seu ataque tomará frequentemente a forma de doença.

Mas as doenças não são, às vezes, o resultado da presença de micróbios e não são uma parte do movimento do Yoga?

Onde é que o Yoga começa e onde é que ele termina? Sua vida inteira não é Yoga? As possibilidade de doenças estão sempre no seu corpo e à sua volta; você as carrega dentro de si ou os micróbios e germes de todas as doenças fervilham a sua volta. Como se explica que, de repente, você não resista a uma doença que você não tinha há anos? Você dirá que foi devido à "depressão da força vital". Mas de onde vem essa depressão? Vem de alguma desarmonia no ser, de uma falta de receptividade às forças divinas. Quando você se desliga da energia e da luz que o sustêm, então acontece esta depressão, cria-se o que a ciência médica chama de um "terreno favorável", e alguma coisa se aproveita disso. É a dúvida, a tristeza, a falta de confiança, um egoístico voltar-se sobre si que o desliga da luz e da energia divina e propicia ao ataque esta oportunidade. É isto que é a causa que faz você cair doente e não os micróbios.


Fonte: Conversas com a Mãe
             Sri Aurobindo Ashram