sábado, 23 de março de 2013

A prática torna perfeito

"Certa vez, quando eu estava dando uma aula sobre a vida e a morte, um swami entrou calmamente e sentou-se com os meus alunos. Julgando tratar-se de um principiante, dispensei-lhe o acolhimento que dispensava aos outros. Mas fiquei aborrecido vendo-o apenas sorrir, sorrir sempre, ao passo que os outros, muito conscienciosamente, tomavam notas. Por fim perguntei:

- Estás prestando atenção ao que digo?

- Estás apenas falando, - disse ele, - mas eu posso fazer uma demonstração do domínio sobre a vida e a morte. Traze-me uma formiga.

Trouxeram-lhe um formigão. Ele cortou-o em três pedaços e separou-os. A seguir, fechou os olhos e quedou sentado, imóvel. Passado um momento, as três partes se moveram uma na direção da outra. Juntaram-se e a formiga rediviva saiu correndo dali. Eu sabia que não era hipnose, nem coisa alguma parecida.

Senti-me muio pequeno diante daquele swami. E fiquei enleado perante meus alunos porque conhecia os textos dos livros sagrados, mas não tinha uma compreensão de primeira mão, nem o domínio da vida e da morte.

- Onde aprendeste isto? - perguntei-lhe.
- Teu mestre ensinou-me, - respondeu ele.

Ouvindo-o, encolerizei-me contra meu mestre e saí imediatamente à sua procura. Ao ver-me, ele me perguntou:

- Que aconteceu? Por que estás permitindo, mais uma vez, que a cólera te domine? Continuas escravo das tuas violentas emoções.

Eu disse-lhe:

- Ensinais aos outros coisas que não me ensinais. Por que?

- Ele olhou para mim e respondeu:

- Ensinei-te muitas coisas, mas não as praticas. Não é minha culpa! Todas essas proezas dependem de prática, e não só do seu conhecimento verbal. Se souberes tudo sobre piano mas não praticares, jamais criarás música. O conhecimento é inútil sem a prática. É mera informação. A prática proporciona a experiência direta, a única que constitui conhecimento válido.

Fonte: Vivendo com os Mestres do Himalaia
            Experiências Espirituais do Swami rama

Nenhum comentário: