sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013


“Certa vez, um casal renunciante atravessava uma densa floresta em peregrinação a um santuário inacessível. O marido viu na trilha uma pedra preciosa, brilhando de forma imaculada, quando os raios do Sol caíram sobre ela por entre as folhas. Ele rapidamente jogou um pouco de areia sobre ela com o movimento do pé, de modo que sua esposa não pudesse ser tentada a buscá-la e se tornar escrava de tal bugiganga. A esposa viu o gesto e repreendeu o marido por ainda manter em sua mente uma distinção entre areia e ouro. Para ela, ambos eram idênticos. Esse hábito de julgar e rotular os outros é uma prática comum hoje. O que você pode conhecer do funcionamento interno da mente do outro?”

Fonte: Sathya Sai Baba

Nenhum comentário: