quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Pergunta: - Mesmo os que se arrependerem ou regenerarem à última hora sofrerão os efeitos dolorosos dos próximos acontecimentos? Ou serão imediatamente afastados do teatro de operações?

Ramatis: - A massa passível de provação não poderá ser premiada "ex-abrupto", em consequência de adesão de última hora aos postulados do Evangelho. Cada alma tem que ser a tecelã de sua própria libertação espiritual. As condições energéticas que ela cria em si mesma, despertando-lhe os valores mais altos, é que realmente a conduzem para a "direita" ou para a "esquerda" do Cristo. Que adiantaria conceder autorização ao pássaro para voar, se as suas asas ainda não houvessem crescido? Essa regeneração de última hora, a que aludis, já vos indica que o espírito regenerou-se subitamente devido ao medo, à angústia, ou porque comprovou a realidade do "fim do mundo"... Pouco mérito terá, pois, para que seja afastado dos acontecimentos catastróficos. Se realmente estiver arrependido e regenerado, há que provar, à luz dos acontecimentos acerbos, a sua nova fé e a sua nova disposição espiritual. Uma renovação nessas condições mereceria a resposta que Jesus deu a Tomé: "Tu creste, Tomé, porque me viste; bem-aventurados os que não viram e creram". Bem-aventurados também - diremos nós - aqueles que se evangelizaram antes de precisarem colocar os dedos nas brasas dos acontecimentos profetizados para o fim dos tempos!..."

Fonte: Mensagens do Astral - Ramatis
           Obra psicografada por Hercílio Maes

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013


“Não se deixe levar pelo cinismo dos críticos - isso deve servir apenas para incentivá-lo. Examine as falhas que podem estar latentes em você e trabalhe sinceramente para se livrar delas. Não apenas discurse num palanque sobre a excelência de qualidades como caridade, serviço, simpatia, igualdade, secularismo, etc. Desça do palanque e pratique sinceramente pelo menos alguns ideais. Quando o seu vizinho está sofrendo de uma doença grave, não se contente com a ideia de que você está alegremente livre. Você não está livre se mesmo uma pessoa está sofrendo ou presa. Lembre-se de que o alimento que você dá a cada ser vivo alcança o próprio Divino Supremo, o serviço que você faz a qualquer ser, em qualquer lugar do mundo, preenche o Senhor com alegria.”  Sathya Sai Baba

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

O Mantra da felicidade

"...Um swami vivia tranquilamente no mais profundo do Himalaia, entre Uttarkashi e Harsil. Fui vê-lo e, quando cheguei, ele me perguntou:
- Qual é o propósito da tua vinda?
-Quero receber um mantra, - respondi-lhe.
- Terás de esperar, - tornou ele.

Quando os ocidentais se dirigem a alguém em busca de um mantra, estão preparados para gastar muito dinheiro, mas não querem esperar. Tentei a mesma coisa. E disse:
- Swamiji, tenho pressa.
- Então, volta no ano que vem.
- Mas se eu ficar agora, quantos dias terei de esperar? - indaguei.
- Terás de esperar o tempo que eu quiser que esperes, - replicou ele.

Nessas condições, esperei pacientemente, um dia, dois dias, três dias. Mesmo assim, o swami não me dava o mantra.
No quarto dia, ele me disse:
- Quero dar-te um mantra, mas tens de prometer que te lembrarás dele o tempo todo.
Prometi-o.
- Vamos até o Ganges, - propôs ele.
Um sem-número de sábios tem realizado práticas espirituais à beira do Ganges sagrado e ali tem sido iniciado.
Em pé junto do rio, declarei:
- Prometo nunca esquecer este mantra.
Repeti a promessa várias vezes, mas ele continuou a contemporizar.

Por fim, disse:
- Onde quer que vivas, vive alegremente. Esse é o mantra. Sê alegre em todos os momentos, ainda que estejas por trás das grades. Onde quer que vivas, ainda que tenhas de ir a um lugar infernal, cria ali o céu. Lembra-te, meu rapaz, a alegria é obra tua. Requer tão-somente o esforço humano. Tu mesmo tens de criá-la. Lembra-te do meu mantra.

Eu me sentia muito feliz e muito triste ao mesmo tempo, porque esperava que ele me desse algum som inusitado para repetir. Mas ele foi mais prático. Aplico esse "mantra" em minha vida e vejo que ele tem êxito em toda parte. Sua receita espiritual parece ser o melhor dos médicos - verdadeira chave da nossa própria cura."

Fonte: Vivendo com os Mestres do Himalaia
           Experiências Espirituais do Swami Rama


domingo, 24 de fevereiro de 2013

Aqui está a sua segunda chance de entrega

"...Se você não consegue aceitar o que está lá fora, aceite então o que está dentro. Isso quer dizer: não resista ao sofrimento. Permita que ele esteja ali. Entregue-se ao pesar, ao desespero, ao medo, à solidão, ou a qualquer forma que o sofrimento assuma. Abrace o sofrimento. Veja, então, como o milagre da entrega transforma o sofrimento profundo em uma paz profunda. Essa é a sua crucificação. Permita que ela seja a sua ressurreição e ascensão ao céu.

Quando a sua dor é profunda, tudo o que se disser a respeito de entrega vai, provavelmente, lhe parecer superficial e sem sentido. Quando o seu sofrimento é profundo, você provavelmente tem um grande anseio de escapar e de não se entregar a ele. Você não quer sentir o que está sentindo. O que pode ser mais normal? Mas não tem escapatória, nenhuma saída.

Existem algumas pseudo-saídas como o trabalho, a bebida, as drogas, a raiva, as projeções, as abstencões, etc., mas elas não libertam você do sofrimento. O sofrimento não diminui de intensidade quando você o torna inconsciente. Quando você nega o sofrimento emocional, tudo o que você faz ou pensa fica contaminado por ele. Você o irradia, por assim dizer, como a energia que se desprende de você, e outros vão captá-lo subliminarmente.

Se essas pessoas estiverem inconscientes, podem até se ver compelidas a agredir ou machucar você de alguma forma, ou você pode machucá-las em uma projeção inconsciente do seu sofrimento. Você atrai e transmite aquilo que corresponde ao seu estado interior..."

Fonte: Praticando o Poder do Agora
           Eckhart Tolle


sábado, 23 de fevereiro de 2013


DEAR FRIENDS:- "MEANING OF - VAHEGURU"
"VAHEGURU" is the Great Mantra, mostly chanted by Sikhs.
The meaning of this Great Mantra is explained by Bhai Gurdasji who was a contemporary of the fifth Sikh Guru Shri Arjun Devji.
'VA' - VISHNU......'HE' - HARI......'GU' - GOVIND......'RU' - RAM.
"Satyuga satguru Vasudev va-va Vishnu nama japavey,
Dvapare satguru Hari Krishna ha-ha Hari nama japavey,
Trete satguru Ramji ra-ra Ram jape sach pavey,
Kaliyuge Nanak Gur Govinda ga-ga Govinda nama alavey,
Chare yugi chahu yugi panchin vic jai samavey,
Charo akshara ek kar VAHEGURU jap mantra japavey,
Jaha te upjia phir taha samavey."
(Pauri - 49, Vara - 1)

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013



“Os maiores obstáculos no caminho da entrega são o egoísmo (ahamkaram) e o apego ou possessividade (mamakaram). Isto está arraigado em sua personalidade há eras e seus tentáculos aprofundam mais e mais com a experiência de cada vida que se sucede. Eles só podem ser removidos pelos detergentes gêmeos de discernimento e renúncia. Devoção é a água que lava essa sujeira de eras, e o sabão de japa, dhyana e yoga (repetição do nome de Deus, meditação e comunhão) o ajudará a removê-la mais rápido e mais eficazmente. Progresso lento e constante certamente vencerá a corrida neste caso; mais rápido nessa viagem pode significar um desastre. Prossiga passo a passo em suas práticas espirituais - dando um passo firme antes de tomar o próximo. Não vacile ou escorregue dois passos para trás a cada passo à frente. Cultive a fé profunda - isso tornará o seu progresso constante!”
Sathya Sai Baba

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

 "Quando nos rendemos àquilo que é
e assim ficamos inteiramente presentes,
o passado deixa de ter qualquer força.
A região do Ser, que tinha sido encoberta pela mente, se abre.
De repente, surge uma grande serenidade dentro de você,
uma imensa sensação de paz.
E dentro dessa paz existe uma grande alegria.
E dentro dessa alegria existe amor.
E lá no fundo está o sagrado,
o incomensurável, o que não pode ser nomeado."

Fonte: Praticando O Poder do Agora
Eckhart Tolle

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

"Pergunta: - Como entender melhor esse axioma de caminhar para Deus, estando Deus em tudo?

Ramatis: - A criatura caminha para o Criador - a Essência Incriada - purificando-se e libertando-se vibratoriamente da forma, assim como a libélula se afasta pouco a pouco da forma da lagarta repulsiva, para tomar uma forma superior. A forma inferior é a vida do mundo material, da energia descida e condensada; é a figura criada; tem começo e tem fim, pois é provisória; significa a ilusão, o "maya" tão sugestivo dos orientais. Quanto mais o espírito se agarra à forma do mundo material, tanto mais longa é a sua ausência da intimidade com o Pai e, também, maior a distância de sua real felicidade. O máximo de ventura possível que o espírito pode usufruir na matéria é sempre uma constante decepção para ele porquanto, satisfeito o corpo emocional, o tédio toma conta da alma outra vez. Nunca ela poderá ser feliz repetindo as mesmas emoções ou apenas fazendo substituições que, de início, já trazem o sabor da futura desilusão.

Caminhar para Deus, portanto, é acelerar o campo vibratório do próprio espírito; é o incessante libertar-se das formas ilusórias; é evitar que a consciência menor crie raízes no mundo provisório, para mais breve sentir, então, a tangibilidade da Consciência Maior que a criou!"

Fonte: Mensagens do Astral - Ramatis
           Obra psicografada por Hercílio Maes

domingo, 17 de fevereiro de 2013

O esquecimento do Ser

"O ego é invariavelmente a identificação com a forma - está sempre nos procurando e, portanto, nos perdendo em algum tipo de forma. As formas não são apenas objetos materiais e corpos físicos. Mais essenciais do que essas formas externas são as formas de pensamento que surgem de modo contínuo no campo da consciência. Elas são formas energéticas, mais sutis e menos densas do que a matéria física, porém são formas de qualquer maneira. Aquilo que costumamos reconhecer de modo consciente como uma voz na nossa cabeça que nunca pára de falar é o fluxo de pensamento incessante e compulsivo. Quando os pensamentos absorvem toda a nossa atenção, isto é, sempre que estamos tão identificados com essa voz e as emoções que as acompanham que nos perdemos de nós mesmos em cada pensamento e em cada emoção, é porque nos encontramos inteiramente identificados com a forma e, portanto, nas garras do ego. O ego é um conglomerado de formas de pensamentos recorrentes e de padrões emocionais e mentais condicionados que estão investidos de uma percepção do eu. Ele se estabelece quando o sentido de Existir, do "eu sou", que é uma consciência sem forma, mistura-se com a forma. Esse é o significado da identificação. Esse é o esquecimento do Ser, o erro fundamental, a ilusão de separação absoluta que converte a realidade num pesadelo."

Fonte: Um Novo Mundo - O Despertar de uma Nova Consciência
           Eckhart Tolle

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

"...Não é preciso que todos os seres humanos renunciem ao mundo, pois o caminho da renúncia é muito difícil de trilhar. Na verdade, não se faz mister renunciar aos objetos do mundo porque o ser humano, na verdade, não tem nem possui coisa alguma. Por conseguinte, não é necessário renunciar a nada, mas urge renunciar ao sentido de posse. O fato de vivermos no mundo ou fora dele pouca diferença faz. A causa do sofrimento é o apego aos objetos mundanos. O que pratica fiel e sinceramente a desafeição consegue libertar-se da servidão do carma. No caminho da ação, ninguém renuncia às obrigações, cumpridas com habilidade e desprendimento. O renunciante abre mão dos objetos e vai para longe deles, mas também cumpre suas obrigações essenciais. Os que vivem no mundo como chefes de família cumprem igualmente suas obrigações essenciais. Os que se tornam egoístas pelo fato de receberem e usarem os frutos de seus atos criam muitos estorvos para si. Torna-se-lhes difícil libertar-se da servidão criada por si mesma. Se a pessoa não renunciar a todos os apegos e ao sentido de posse, o caminho da renúncia tornar-se-á deplorável. Se os chefes de família não praticarem a desafeição e continuarem a robustecer o egoísmo e a possessividade, isso também lhes trará sofrimentos. Para atingir o propósito da vida, urge que a pessoa cumpra suas obrigações, quer viva no mundo, quer viva fora dele. O caminho da renúncia e o da ação, embora diversos, são igualmente úteis para atingir a auto-emancipação. Um é o caminho do sacrifício, o outro é o caminho da conquista..."

Fonte: Vivendo com os Mestres do Himalaia
           Experiências Espirituais do Swami Rama

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013


“O Senhor declarou na Gita: "Mama maya" ou "Minha ilusão". Isto implica que o mundo é Sua obra, Seu esporte Divino e glória (leela e mahima). O mundo é concebido como um campo de treinamento, uma inspiração para aqueles que desejam vê-Lo, Aquele que é sua Fonte, Diretor e Mestre. Depois de ver o mundo como palco de Sua peça, então você não será mais iludido, nem distraído, nem enganado por quaisquer truques ou efeitos de palco. Da ilusão, você deve se interessar pelo Autor, o Mestre. A peça é real apenas enquanto durar, quando você está no teatro. Do mesmo modo, o mundo é apenas uma miragem! Uma miragem não se origina da chuva. Ela não chegará a qualquer lago ou mar. Ela não estava lá antes do nascer do sol, nem estará lá depois do pôr do sol. É apenas um fenômeno ocorrido, é melhor não se incomodar! Assim, também, Deus realmente é mais real do que o mundo, essa é a essência das escrituras indianas.” Sathya Sai Baba

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Qual é a relação que existe entre o amor humano e o amor Divino? É o amor humano um obstáculo ao amor Divino? Ou, não seria a capacidade do amor humano um índice da capacidade do amor Divino? Grandes figuras espirituais como Cristo, Ramakrishna e Vivekananda, não foram notavelmente cheias de amor e afetivas por natureza?

O amor é uma das grandes forças universais; existe por si mesmo e seu movimento é livre e independente dos objetos nos quais e através dos quias se manifesta. Manifesta-se em qualquer lugar onde encontre uma possibilidade de manifestação, onde quer que haja receptividade, onde quer que haja alguma abertura para ele. O que você chama de amor, e pensa ser uma coisa individual e pessoal, é apenas sua capacidade de receber e manifestar essa força universal. Entretanto, apesar de ser universal, não é uma força inconsciente; é um Poder sumamente consciente. Conscientemente, ele procura sua manifestação e realiza na terra; conscientemente escolhe seus instrumentos, desperta para suas vibrações aqueles que são capazes de uma resposta, esforça-se para realizar neles aquilo que é sua meta eterna, e quando o instrumento não é adequado, deixa-o e volta-se para procurar outros. Os homens pensam que, de repente, se apaixonam; vêem seu amor chegar e crescer e gradualmente desaparecer - ou, talvez, durar um pouco mais naqueles que são especialmente capacitados para seu movimento mais durável. Mas a sensação de ser uma  experiência pessoal toda sua era uma ilusão. Nada mais era que uma onda do mar sem fim do amor universal.

O amor é universal e eterno; está sempre se manifestando e é sempre idêntico na sua essência. E é uma Força Divina; porque as deformações que vemos nas suas aparentes expressões pertencem a seus instrumentos. O amor não se manifesta apenas em seres humanos; está em todo lugar. Seu movimento está lá nas plantas, talvez nas próprias pedras; nos animais é fácil notar sua presença. Todas as deformações deste grande Poder divino vêm da obscuridade e ignorância e egoísmo do instrumento limitado. O amor, a força eterna, não tem apego ou desejo, não tem fome de posse nem ligação egoística; é, no seu movimento puro, a procura da união do ser com o Divino, uma procura absoluta, indiferente a todas as outras coisas. O amor Divino dá-se e não pede nada. O que os seres humanos fizeram dele não é preciso dizer - transformaram-no em algo feio e repulsivo. E, entretanto, mesmo nos seres humanos, o primeiro contato com o amor traz para baixo algo da sua substância mais pura; por um momento eles se tornam capazes de esquecer-se de si mesmos, por um momento seu toque divino desperta e amplia tudo que é bom e bonito. Mas depois vem à tona a natureza humana, cheia de suas exigências impuras, pedindo alguma coisa em troca, negociando com o que dá, clamando por sua próprias satisfações inferiores, distorcendo e denegrindo o que era divino.

Fonte: Conversas com a Mãe
           Sri Aurobindo Ashram

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013


“Certa vez, um casal renunciante atravessava uma densa floresta em peregrinação a um santuário inacessível. O marido viu na trilha uma pedra preciosa, brilhando de forma imaculada, quando os raios do Sol caíram sobre ela por entre as folhas. Ele rapidamente jogou um pouco de areia sobre ela com o movimento do pé, de modo que sua esposa não pudesse ser tentada a buscá-la e se tornar escrava de tal bugiganga. A esposa viu o gesto e repreendeu o marido por ainda manter em sua mente uma distinção entre areia e ouro. Para ela, ambos eram idênticos. Esse hábito de julgar e rotular os outros é uma prática comum hoje. O que você pode conhecer do funcionamento interno da mente do outro?”

Fonte: Sathya Sai Baba

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

"... Não há proveito algum em se discutir, mesmo que sabiamente os ensinamentos espirituais. É necessário praticá-los. Mesmo que alguém soubesse de cor todas as sentenças dos filósofos, isso em nada contribuiria para sua autoconscientização. É preciso seguir os exemplos dos Grandes Mestres, nos quais brilha a perfeição espiritual. Os homens não devem entorpecer em si mesmos as virtudes divinas, já que conhecem tantos exemplos de perfeição.

Evite a mentira e conheça a tranquilidade que advém do cultivo da Verdade.

Evite a falsidade e assim poderá viver em paz com os outros.

Evite as conversas frívolas e conheça a mútua e harmoniosa compreensão.

Evite a avareza e conheça a paz que advém por se estar livre de toda cobiça.

Evite a ira e ame a todos os seres, sem exceção.

Transcenda a ignorância espiritual e viva na paz suprema..."

Fonte: Maha Yoga - O Caminho da Não-dualidade
           Sri Maha Krishna Swami

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

O Silêncio

"Costuma-se dizer: "O silêncio é a linguagem de Deus, e tudo mais é tradução malfeita." O silêncio é realmente outra palavra para espaço. Ao tomarmos consciência dele quando o encontramos na nossa vida, estabelecemos uma ligação com a dimensão sem forma e eterna dentro de nós, aquela que está além do pensamento e do ego. Pode ser o silêncio que envolve o mundo da natureza, a tranquilidade do nosso quarto nas primeiras horas da manhã ou os intervalos entre os sons. O silêncio não tem forma - é por isso que, por meio do pensamento, não conseguimos ter consciência dele. O pensamento é forma. Ter consciência do silêncio significa ficar em silêncio. Ficar em silêncio é estar consciente sem pensamento. Nunca somos nós mesmos com tanta intensidade do que quando estamos em silêncio. Nessas ocasiões, somos quem fomos antes de assumir temporariamente essa forma física e mental que chamamos de pessoa. Também somos aquele que seremos depois que a forma se dissolver. Quando estamos em silêncio, somos quem somos além da nossa existência temporal: a consciência - incondicional, sem forma, eterna."

Fonte: Um Novo Mundo - O Despertar de uma Nova Consciência
           Eckhart Tolle

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

O Fogo da Transformação

"Em verdade,
Todos estão predestinados
A ser conscientes da unidade
Do Eterno Criador do Cosmo,
Da Força Crística,
Do amor divino
Refletido no âmago
De todos os seres do universo,
E a compreender a ação
Da lei espiritual.

Compreenderão
Que deve morrer a idéia
De que se é o ego profano
E que devem viver conscientes
Do divino fogo da transformação,
Do equilíbrio universal,
Do amor supremo
E da força divina
Que agem em todo lugar.

Poderão julgar suas faltas
E suportar de bom grado
As suas consequências.
Perceberão que
Pelo esforço contínuo
Chega-se à autoconscientização
E os desejos e a infelicidade
Desaparecem.

Serão conscientes de que,
Se quiserem libertar-se
Dos ciclos intermináveis
De renascimentos e mortes,
Deverão compreender
E sentir
A natureza divina
Dos sagrados ensinamentos."

Fonte: Maha Gita Purusham do Bem-aventurado
          Sri Maha Krishna Swami
"A energia espiritual ou energia da alma está relacionada com os nossos valores originais. Ela guia e dá qualidade aos nossos pensamentos. Quando conseguimos canalizá-la, uma influência muito positiva é gerada. Essa influência começa a se manifestar em nossa consciência, chega em nossos sentimentos e alcança nosso corpo. Cuidar da energia espiritual é a melhor forma de elevar a qualidade de vida." (Brahma Kumaris)

sábado, 2 de fevereiro de 2013

"A maioria das doenças vem da mente. Hoje, cada um procura constantemente obter mais êxito na vida do que o seu vizinho. Em pensamentos, cada um cobiça juntar ao redor de si as coisas materiais e, sacrificando muito tempo aos problemas que são do mundo, negligencia os obreiros do seu corpo. Por causa dessa negligência, têm lugar certas formas de congestões. Fica o indivíduo exposto a diversas infecções e, como as células lutam vigorosamente para viver, aparece, às vezes um estado febril.

Assim a primeira coisa que todos devem fazer é aprender a relaxar completamente. Cada um deve, também, compreender melhor a si mesmo e ao seu ambiente. Não deve acusar ninguém por causa de sua irritação ou depressão. Assim procedendo, achará que as duas coisas mais comuns de sua época - a irritação e a depressão - vêm da congestão do fígado, pois se esqueceu de tocar a nota harmoniosa. Cada época e cada civilização traz seus males particulares e esses - a irritação e a depressão - são as características da época atual.

Logo ao acordar, ao sair do estado inconsciente para o semiconsciente, ao invés de se continuar sonolento e virar para o lado, deve-se ficar alerta e, deitado de costas, apertar com uma das mãos o plexo solar e, com a outra, o fígado. Nesta posição, transmite-se a todas as células a ordem de ficarem atentas e vigilantes, mantendo-se firmemente a atitude mental de que o plexo solar e o fígado sejam banhados pelos sete raios de luz que têm o poder de purificação. Em seguida, os raios devem ser enviados a toda corrente sanguínea para que o sangue seja, também purificado. Ao fazê-lo, respira-se profundamente por três vezes, cada vez correspondendo à lenta contagem de três para a inspiração, três para a retenção do ar nos pulmões e três para a expiração.

Todo esse exercício não levará mais do que três a cinco minutos. Se cada um o fizer diariamente, praticando também o relaxamento, constatará que, depois de um mês de tratamento, será uma pessoa renovada.

Os indivíduos devem procurar tomar consciência de que o Criador Eterno lhes deu dons maravilhosos, e que através deles alcançarão perfeita harmonia, desde que aprendam a usá-los. Terão a saúde do corpo, a intuição, a clareza da mente, da visão e da audição. Se projetarem no éter pensamentos puros, fortes e concentrados, purificarão a totalidade de seu campo áurico..."

Fonte: Planeta Especial - Maha Yoga - A Verdade Universal
           Sri Maha Krishna Swami