domingo, 14 de outubro de 2012

O BUDA ETERNO

Homens crêem que Buda nasceu como Príncipe e que como monge mendicante trilhou o árduo caminho da Iluminação. Não obstante esta longa preparação, Buda sempre existiu neste mundo, que não tem nem princípio nem fim.

Como Buda Eterno, Ele conhece a natureza dos homens e procura salvá-los, usando de todos os meios.

Não há falsidade no Dharma Eterno pois Buda conhece todas as coisas do mundo como elas são e as ensina a todos seres.

É difícil conhecer o mundo como ele é verdadeiramente pois, embora pareça real, ele não o é e embora pareça falso, ele também não o é. Os tolos não podem conhecer a verdade a respeito do mundo. 

Somente Buda conhece, verdadeira e completamente, o mundo como ele é. Ele o mostra, nunca dizendo que ele é real ou falso, que é bom ou mau.

O que Buda ensina é precisamente isto: que todos os seres devem cultivar as raízes da virtude, de acordo com suas naturezas, atos ou crenças. Este ensinamento transcende a toda afirmação ou negação a respeito deste mundo.

Buda ensina não só através de palavras, como também através de sua vida. Embora sua vida seja infindável,   
Ele usa o artifício do nascimento e da morte, para ensinar os seres que cobiçam a vida eterna e para despertar-lhes a atenção.

Vejamos outras parábola, " Estando certo médico ausente de casa, seus filhos acidentalmente ingeriram veneno. Quando retornou, diagnosticou o mal e ministrou-lhes um antídoto. Alguns dos filhos levemente intoxicados, reagiram bem ao remédio e se curaram, outros entretanto, gravemente afetados, recusaram-se a tomar a medicação."

"O médico impelido por seu amor paternal decidiu usar um método extremo para curá-los. Disse ele aos filhos: 'Devo empreender uma longa viagem. Estou velho e morrerei um dia. Se fico aqui, posso cuidar de vocês, mas se morrer, vocês piorarão cada vez mais. Se tiverem notícia de minha morte, eu os imploro para que tomem o antídoto e se curem deste veneno sutil.` Dito isso, encetou viagem. Passados uns dias, ele enviou um mensageiro para comunicar-lhes sua morte.

"Recebida a mensagem, os filhos ficaram profundamente chocados com a morte do pai e com a imaginação de que não mais poderiam desfrutar de seus diligentes cuidados. Lembrando-se das palavras paternas e com um sentimento de tristeza e abandono, tomaram o antídoto e se recuperaram."

Não se deve condenar a mentira deste pai médico pois Buda é como este pai: Ele também usa  alegoria da vida e da morte para salvar os homens que se vêem escravizados pelos desejos.


Fonte: A Doutrina de Buda
BUKKYÕ DENDÕ KYÕKAI



Um comentário: